quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Tudo e nada


Autoria: Mess Meister/Wenier Meister


Ela
Eu já fui a primeira pessoa pra quem você ligava no meio da noite,
já fui a protagonista dos seus melhores sonhos,
Já fui o primeiro rosto que você via e o ultimo,
Quantas vezes você mergulhou no meu abraço como
se não houvesse mundo lá fora?
E os meus beijos tiraram seus medos.
Eu fui aquela voz que te acalentava quando nada mais fazia
sentido,
Era a mim que você procurava sempre que algo de bom acontecia,
ou mesmo quando nada acontecia,porque eu te tirava da monotonia,
Quantas vezes eu fui tudo pra você?

Ele...
Hoje me faz falta te liga toda manhã,
falta da sua voz,do seu cheiro,dos beijos
e até das brigas bobas...
Não me lembro do fim,mas do começo,
de como nos completávamos.
Me lembro do seu cabelo bagunçado
de manhã,do seu sorriso de garota levada,
doce e amarga ao mesmo tempo.
Você veio como um cometa que iluminou
minha noite escura,mexei com meus instintos
me deu taquicardia e me fez arrepiar era como
morrer e continuar vivo,mas foi o bastante?
O fim foi chegando como um vento que
antecipa a tempestade,será que foi real?

Ele...
Eu ja te fiz  perder o ar,
e também ja roubei suas noites de sono,
Ja te fiz chora quase tanto quanto te fiz rir,
Eu sou quem você lembra quando aquela
musica de amor toca, e você fecha seus olhos
e volta pra tudo que fomos em instantes.
Eu sou aquela voz que te fazia sorrir mesmo
sem vontade,aquele abraço que parecia te proteger
do mundo e quantas vezes você veio se esconder nele?
Eu fui aquele calor que aqueceu todas as suas noites solitárias,
quem ouvia seus poemas,musicas e sempre queria mais,
Quantas vezes eu fui tudo o que você precisava?
Será que foi o suficiente?

Ela...
Quando foi que tudo acabou?
e as coisas pararam de ter sentido?
Onde nossos caminhos se desencontraram?
Eramos tudo um pro outro e agora não somos
nada.
Me ensine a te olhar como se não te conhecesse?
Me faça não sentir como se não tivesse feito o bastante?
Se vou te esquecer?
um dia quem sabe...
Mais mesmo que  esse dia chegue,
essas paredes ainda contarão nossa história.















Nenhum comentário:

Postar um comentário